Previna-se contra a Dengue

Publicado 17/01/2013
 
A Dengue é uma doença infecciosa viral (arbovírus da família Flaviviridae) transmitida por um vetor, o mosquito Aedes Aegypti. Há 4 subtipos virais, DENV 1, DENV 2, DENV 3 e DENV 4. Estima-se que 50 a 100 milhões de pessoas sejam infectadas por ano no mundo todo, exceto na Europa. A taxa de internação por Dengue é de aproximadamente 5% a 10% e cerca de 20 mil pessoas morrem anualmente por causa dela.

No Brasil há casos durante o ano inteiro, sendo mais comum nos meses de verão, quando as chuvas são mais frequentes. Cerca de 70% dos casos são diagnosticados entre os meses de janeiro a maio, com exceção das regiões norte e nordeste onde as chuvas se iniciam mais tarde e as temperaturas são elevadas o ano todo. Cidades grandes, onde há aglomerados e as ações do ser humano são favoráveis à multiplicação do mosquito, concentram a maioria dos casos, entretanto cidades menores e municípios rurais também possuem casos notificados.

Quais são os sintomas da Dengue? Febre alta, dor de cabeça, dor no corpo e náusea são os principais sintomas da Dengue clássica. Diarreia, manchas vermelhas pelo corpo e sangramentos nasal e gengival também podem ocorrer e nesse contexto o surgimento de dor abdominal intensa e contínua, vômitos, queda da pressão arterial e aumento da frequência cardíaca alertam para a Dengue hemorrágica, que é grave e possui alto risco de morte.

É obrigatório procurar um serviço de saúde ao surgirem os sintomas da Dengue. A avaliação médica é fundamental para construção da hipótese diagnóstica e alguns exames complementares podem ser úteis. É possível em alguns serviços colher amostras de sangue para identificação do antígeno da Dengue e a sorologia deve ser colhida após o 7° dia de início dos sintomas. A partir da avaliação médica a estratégia terapêutica é definida, podendo ou não ocorrer internação hospitalar. Ao suspeitar de Dengue hemorrágica a internação deve ser feita em unidade de terapia intensiva.

Não há tratamento específico. Na grande maioria dos casos o tratamento é baseado no controle dos sintomas, repouso, dieta saudável e hidratação rigorosa. O soro caseiro é útil e prepara-se diluindo 1 colher de chá de açúcar e meia colher de café de sal em 200 ml de água. É proibido o uso de AAS (ácido acetil salicílico) e antiinflamatórios não hormonais ao suspeitar-se de Dengue, pois o risco de hemorragias aumenta, portanto siga a prescrição médica rigorosamente.

Prevenir é melhor do que remediar!!! A Dengue é um exemplo clássico desse famoso ditado popular. Prevenir a Dengue é o grande segredo, pois como vimos não há remédio específico. Para preveni-la devemos combater os criadouros do mosquito transmissor que se formam em locais onde acumulam água. Por isso, não deixe acumular água em latas, embalagens, copos, tampinhas, pneus, vasos de plantas, jarros de flores, garrafas, sacos plásticos, lixeiras, etc. Tampe caixas d’água e latões. Boas férias e curtam o verão com responsabilidade social. Ao realizar essas medidas você ajuda a combater a Dengue.